Faculdade Maurício de Nassau UNINASSAU | Ser Educacional
14 Setembro
Maceió
Compreenda mais a Síndrome de Guillain-Barré
Por Taísa Silveira

O que é Síndrome de Guillain-Barré?
 
A Síndrome de Guillain-Barré é uma doença autoimune que ocorre quando o sistema imunológico do corpo ataca parte do próprio sistema nervoso por engano. Isso leva à inflamação dos nervos, que provoca fraqueza muscular.
 
Tipos
 
Antigamente, acreditava-se que a Síndrome de Guillain-Barré era uma doença de um tipo só. Agora sabe-se que ela pode ocorrer de diversas formas, como:
 
Polirradiculoneuropatia Desmielinizante Inflamatória Aguda (AIDP)
 
É o tipo mais comum nos Estados Unidos. O sinal mais comum dessa forma da doença é a fraqueza muscular que começa na parte inferior do seu corpo e se espalha para cima.
 
Síndrome de Miller Fisher (MFS)
 
Aqui, a paralisia começa nos olhos. A MFS também está associada ao caminhar instável e ocorre em cerca de 5% dos pacientes com a Síndrome de Guillain-Barré. É mais comum na Ásia do que em qualquer outro lugar no mundo.
 
Outros
 
Neuropatia Motora Axonal Aguda e Neuropatia Motor-sensorial Axonal Aguda são tipos menos comuns nos Estados Unidos e são mais frequentes na China, no Japão e também no México.
 
Causas
 
O Ministério da Saúde confirmou que a infecção pelo Zika Vírus pode provocar também à Síndrome de Guillain-barré. No Brasil, a ocorrência de síndromes neurológicas relacionadas ao vírus Zika foi confirmada após investigações da Universidade Federal de Pernambuco, a partir da identificação do vírus em amostra de seis pacientes com sintomas neurológicos com histórico de doença exantemática. Deste total, quatro foram confirmadas com doença de Guillain-barré.
 
Na síndrome de Guillain-Barré, o sistema imunológico de uma pessoa, que é responsável pela defesa do corpo contra organismos invasores, começa a atacar os próprios nervos, danificando-os gravemente.
 
O dano nervoso provocado pela doença provoca formigamento, fraqueza muscular e até mesmo paralisia. A síndrome de Guillain-Barré costuma afetar mais frequentemente o revestimento do nervo (chamado de bainha de mielina). Essa lesão é chamada de desmielinização e faz com que os sinais nervosos se propaguem mais lentamente. O dano a outras partes do nervo pode fazer com que este deixe de funcionar completamente.
 
Fatores de risco
 
A síndrome de Guillain-Barré pode afetar todos os grupos etários. Pessoas inseridas dentro de determinados grupos podem estar sob maior risco do que outras, especialmente pessoas do sexo masculino e adultos mais velhos. Além disso, a síndrome pode ser desencadeada por:
 
Infecção com a Campylobacter, um tipo de bactéria frequentemente encontrada em aves mal cozidas
Vírus Influenza
Vírus de Epstein-Barr
HIV, o vírus da Aids
Pneumonia
Cirurgia
Linfoma de Hodgkin
Raramente, vacinas da gripe ou a vacinação infantil.
 
Sintomas de Síndrome de Guillain-Barré
 
Os sintomas típicos incluem:
 
Perda de reflexos em braços e pernas
Hipotensão ou baixo controle da pressão arterial
Em casos brandos, pode haver fraqueza em vez de paralisia
Pode começar nos braços e nas pernas ao mesmo tempo
Pode piorar em 24 a 72 horas
Pode ocorrer somente nos nervos da cabeça
Pode começar nos braços e descer para as pernas
Pode começar nos pés e nas pernas e subir para os braços e a cabeça
Dormência
Alterações da sensibilidade
Sensibilidade ou dor muscular (pode ser cãibra)
Movimentos descoordenados
Outros sintomas podem ser:
 
Visão turva
Descoordenação e quedas
Dificuldade para mover os músculos do rosto
Contrações musculares
Palpitações (sentir os batimentos cardíacos)
Os sintomas da Síndrome de Guillain-Barré podem piorar rapidamente. Os sintomas mais graves podem demorar apenas algumas horas para aparecer, mas a fraqueza que aumenta ao longo de vários dias é normal.
 
A fraqueza muscular ou a paralisia afeta os dois lados do corpo. Na maioria dos casos, a fraqueza começa nas pernas e depois se propaga para os braços. Isso é chamado de paralisia ascendente.
 
Os pacientes podem notar formigamento, dor nos pés ou nas mãos e descoordenação. Se a inflamação afetar os nervos do diafragma e do peito, e se houver fraqueza nesses músculos, a pessoa poderá necessitar de assistência respiratória.
 
Diagnóstico e exames
 
 
Alguns sintomas são emergenciais. Isso quer dizer que, se você senti-los, você deve procurar ajuda médica imediata. São eles:
 
Respiração interrompida temporariamente
Não conseguir respirar profundamente
Dificuldade para respirar
Dificuldade para engolir
Babar
Desmaios
Sentir vertigem ao se levantar
Perda de movimentos.
Diagnóstico de Síndrome de Guillain-Barré
 
A Síndrome de Guillain-Barré pode ser difícil de diagnosticar em seus estágios iniciais. Os sinais e sintomas são semelhantes aos de outras desordens neurológicas e eles podem variar de pessoa para pessoa.
 
Seu médico provavelmente começará seu diagnóstico fazendo perguntas sobre seu histórico clínico. Um histórico de fraqueza muscular crescente e paralisia pode ser um sinal da síndrome de Guillain-Barré, principalmente se houve uma doença recente.
 
Um exame médico pode mostrar fraqueza muscular e problemas nas funções involuntárias (autonômicas) do corpo, como pressão arterial e frequência cardíaca. O exame também pode mostrar se os reflexos, como os do joelho, estão diminuídos ou ausentes.
 
Pode haver sinais de diminuição da respiração causada por paralisia dos músculos respiratórios.
 
Os seguintes exames podem ser solicitados:
 
Amostra do líquido cefalorraquidiano (punção lombar)
Eletrocardiograma (ECG)
Eletromiografia (EMG), que testa a atividade elétrica nos músculos
Exame de velocidade de condução nervosa
Exames de função pulmonar
tratamento e cuidados
Tratamento de Síndrome de Guillain-Barré
Não existe cura para a síndrome de Guillain-Barré. Entretanto, há muitos tratamentos disponíveis para ajudar a reduzir os sintomas, tratar as possíveis complicações e acelerar a recuperação do paciente.
 
Quando os sintomas são graves, a hospitalização será recomendada para dar continuidade a um tipo de tratamento mais específico, que pode incluir aparelhos de respiração artificial.
 
Nos estágios iniciais da doença, tratamentos que removem ou bloqueiem a ação dos anticorpos que estão atacando as células nervosas podem reduzir a gravidade e a duração dos sintomas da Síndrome de Guillain-Barré.
 
Um desses métodos é chamado de plasmaferese e é usado para remover os anticorpos do sangue. O processo envolve extrair sangue do corpo, geralmente do braço, bombeá-lo a uma máquina que remove anticorpos e depois enviá-lo novamente ao corpo.
 
Outro método é bloquear os anticorpos usando altas doses de imunoglobulina. Nesse caso, as imunoglobulinas são adicionadas ao sangue em grandes quantidades, bloqueando os anticorpos que causam a inflamação.
 
Outros tratamentos disponíveis têm por objetivo prevenir complicações.
 
Podem ser utilizados anticoagulantes para prevenir coágulos sanguíneos
Se o diafragma estiver debilitado, pode ser necessário o uso de um auxílio respiratório ou até mesmo de um tubo e um ventilador respiratórios
A dor é tratada com remédios anti-inflamatórios e narcóticos, se necessário
O posicionamento adequado do corpo ou um tubo de alimentação podem ser empregados para evitar engasgar durante a alimentação se os músculos usados para deglutição estiverem debilitados.
Medicamentos para Síndrome de Guillain-Barré
Os medicamentos mais usados para o tratamento da síndrome de Guillain-Barré são:
 
Doxiciclina
Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.
 
Convivendo/ Prognóstico
 
Após os primeiros sinais e sintomas, a doença tende a agravar-se progressivamente para cerca de duas semanas. Os sintomas atingem seu ápice em aproximadamente quatro semanas.
 
A recuperação começa logo depois, geralmente com duração de seis meses a um ano, embora para algumas pessoas possa demorar até três anos.
 
Complicações possíveis
 
Se não for tratada, a síndrome pode evoluir algumas complicações de saúde graves:
 
Dificuldade para respirar (insuficiência respiratória)
Contraturas das articulações ou outras deformidades
Trombose venosa profunda (coágulos sanguíneos que se formam quando alguém está inativo ou confinado a uma cama)
Maior risco de infecções
Pressão arterial baixa ou instável
Paralisia permanente
Pneumonia
Lesões na pele (úlceras)
Aspiração de alimentos ou líquidos para dentro do pulmão
Expectativas
A recuperação pode demorar semanas, meses ou anos, mas não existe cura para a síndrome de Guillain-Barré. A maioria das pessoas sobrevive e se recupera completamente. Sintomas de fraqueza podem persistir em algumas pessoas por muitos anos mesmo com tratamento.
 
É mais provável que o prognóstico do paciente seja muito bom se os sintomas desaparecerem dentro de três semanas do início da doença.
 

23 Abril
ARTIGO
Alunos podem conferir VII diretriz da hipertensão
Por Pedro Dutra

Prezados discentes,

Bom dia!!

Atualmente, 30% da população brasileira possui hipertensão arterial. Esse dado é preocupante tendo em vista que a hipertensão não controlada pode levar a lesões de orgão alvo (ex: coração) e morte prematura. Uma importante estratégia não medicamentosa é a prática regular de exercício físico. Além de contribuir no controle da pressão arteirial, o exercício físico também gera benefícios no coração reduzindo o risco de morte prematura. 

O profissional de Educação Física deve conhecer a hipertensão e a prescrição de exercício adequado para esta população. Nesse sentido, segue o link para download da VI diretriz brasileira de hipertensão como documento norteador nas tomadas de decisão do profissional de Educação Física.

 

Att.

 

20 Abril
ARTIGO
O exercício físico na evolução da espécie humana
Por Pedro Dutra

A evolução do ser humano teve contribuição da atividade física (Imagem 1). É o que conclui o artigo publicado por Raichlen e Polk (2012) intitulado “Conectando cérebros e músculos: exercício e evolução da neurobiologia humana” (The Royal Society; fator de impacto: 4.940)
Explico. 


A atividade física aumenta a quantidade de neurotrofinas que, por sua vez, atuam no desenvolvimento e manutenção de novos neurônios além de regular a atividade neuronal (Imagem 2). Esse mecanismo leva ao aumento do volume cerebral (ex.: aumento do volume do hipocampo) e desempenho cognitivo, levando o ser humano a uma maior capacidade de planejamento, memória, processamento de informação, criatividade, dentre outros aspectos da cognição (Hillman et al, 2008; Nature). Logo, a adaptação do sistema nervoso central, a qual se apresenta como o principal aspecto evolutivo do ser humano, sofreu influência de uma população fisicamente ativa (aptidão aeróbia elevada). Esse conhecimento reforça a importância da atividade física dentro do processo evolutivo do ser humano e evidencia a necessidade de sermos ativos fisicamente, tendo em vista que a prática de exercício é um fator que leva ao aumento da saúde física e mental ao longo da vida.

18 Abril
ARTIGO
Por que exercitar é tão importante?
Por Pedro Dutra

Quando perguntarem a você porque é tão importante realizar atividade física ou porque a atividade física faz tão bem à saúde, eis a resposta sob o ponto de vista evolucionário: 
Geneticamente, houve poucas ou nenhuma mudança ao compararmos o homem paleolítico com o homem moderno (Cordain et al, 1998). Adicionalmente, 95% da biologia humana foi selecionada e determinada (teoria da evolução; Darwin) na era paleolítica (Trevathan et al, 1999; Chakravarthy e Booth, 2004). Apesar das mudanças ocorridas, principalmente no sistema nervoso central, geneticamente somos os mesmos nos últimos 10.000 anos. 


Nesse sentido, é imperativo dizer que nosso corpo foi naturalmente selecionado para movimentar-se (Chakravarthy e Booth, 2004). Na era paleolítica, precisávamos realizar atividade física para caçar, buscar abrigo, fugir de predadores, locomover-se, ou seja, a atividade física era extremamente presente nesse contexto e essencial para a sobrevivência. Quando se têm um estilo de vida ativo, nossos sistemas fisiológicos funcionam em ótimas  condições. 


Se isso não acontecer, aumentaremos o risco de comprometermos nosso organismo (ex: distúrbios metabólicos) que por sua vez vai gerar dezenas de doenças crônicas (diabetes tipo II, Alzheimer, demências, doenças cardiometabólicas) (Booth et al, 2002; Chakravarthy e Booth, 2003). A importância dessa informação nos dias de hoje se deve a elevados percentuais de sedentarismo global associado a crescentes níveis de doenças crônicas. 


Portanto, incentivem um estilo de vida ativo porque nossa biologia foi determinada para isso.

Att.

18 Abril
ARTIGO
Terapia com combinação de tratamentos apresenta 97% de taxa de cura
Por Edjacy Lopes

*Por DNDi

Uma nova terapia, com combinação de dois diferentes tratamentos, e com custo mais acessível para o tratamento da hepatite C demonstrou segurança e eficácia, com taxas de cura extremamente altas entre os pacientes, incluindo casos difíceis de tratar. O tratameto inclui um novo candidato a fármaco, ravidasvir, e os resultados provisórios são do estudo Fase II/III STORM-C-1, apresentado pela organização de pesquisa e desenvolvimento sem fins lucrativos (Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi, pelas siglas em inglês de Drugs for Neglected Diseases initiative – DNDi) durante a International Liver Conference, que acontece até dia 15 de abril em Paris.

“Os resultados indicam que a combinação sofosbuvir/ravidasvir é comparável às melhores terapias para hepatite C atualmente disponíveis, porém a um preço acessível, o que pode oferecer uma alternativa viável em países excluídos dos programas de acesso das empresas farmacêuticas”, disse Bernard Pécoul, Diretor Executivo da DNDi.

 

Confira a matéria completa. 

18 Abril
ARTIGO
Sistema CRISPR/Cas9 pode ajudar na descoberta de novas drogas e prevenção de doenças infecciosas
Por Edjacy Lopes

Como o sistema é um facilitador para a geração de modificações precisas nos genomas dos organismos é possível que ele nos aproxime da meta de desenvolver linhagens de parasitos modificados geneticamente que sejam inábeis para causar a doença, mas que permitam resposta imune duradoura que os torne potenciais linhagens vacinais

RISPR/Cas9 pode contribuir com a aceleração das investigações sobre modificações genéticas de insetos vetores de doenças em busca de gerar insetos que perderam a eficiência como vetores

Imagine um sistema que permita editar o DNA genômico nas células e organismos de forma precisa e metodologicamente descomplicada e ainda promovendo implicações marcantes na pesquisa básica, na medicina e na biotecnologia. Uma ferramenta eficiente, prática e simples que possibilite trabalhar em larga escala sobre os genomas e prever uma significativa aceleração nos processos de análise de função gênica. Pois ela existe e já é uma realidade no Brasil. Trata-se do Sistema CRISPR/Cas9.

 

Confira a matéria completa.

17 Abril
ARTIGO
Atribuições do Biomédico no diagnóstico por imagem
Por Raquel Barbosa

O diagnóstico por imagem (imagenologia) é o estudo dos órgãos e sistemas do corpo humano através das diversas modalidades de exames de imagem, dentre as quais se destacam a radiologia, mamografia, ultrassonografia, densitometria óssea, tomografia computadorizada, ressonância magnética, medicina nuclear, etc.
 
O Biomédico habilitado em imagenologia pode trabalhar com todas essas modalidades.
 

17 Abril
ARTIGO
Estudo mostra impacto da intervenção farmacêutica na redução da pressão arterial
Por Raquel Barbosa

 

A hipertensão não controlada é um grande problema em saúde pública, especialmente entre homens negros não-hispânicos. Preocupados com esse contexto, pesquisadores da Division of Community RelationsDevelopment, do Smidt Heart Institute at Cedars - Sinai Medical Center (EUA), realizaram um estudo que envolveu 319 homens negros, hipertensos, com pressão arterial sistólica de 140 mmHg ou mais, frequentadores de 52 barbearias cujos proprietários eram negros, cenário nada tradicional para cuidados de saúde. O estudo teve duração de seis meses.

O trabalho baseou-se no acompanhamento dos pacientes por meio de intervenções farmacêuticas e na avaliação de seu impacto sobre a pressão arterial desses homens hipertensos. As intervenções consistiam em reuniões, encorajadas pelos próprios barbeiros e conduzidas por farmacêuticos treinados em cardiologia, os quais podiam prescrever medicamentos de forma colaborativa com os médicos que atendiam os pacientes. Além disso, os participantes foram incentivados a mudar o estilo de vida.

Leia a matéria completa.

17 Abril
ARTIGO
Neurociência, uma forma de entender o comportamento da mente
Por Helder Viana

As emoções são uma das características essenciais da experiência humana normal, todos as experimentamos. Todas as emoções são expressadas por meio de mudanças motoras viscerais e respostas motoras e somáticas estereotipadas, sobretudo o movimento dos músculos faciais. Tradicionalmente, as emoções eram atribuídas ao sistema límbico, o que continua se mantendo, mas sabe-se que há mais regiões encefálicas envolvidas.

 

Confira a matéria completa.

 

 

10 Abril
ARTIGO
Artigos científicos disponíveis sobre exercício físico e saúde
Por Pedro Dutra

Dia 07/04/2018 foi comemorado o Dia Mundial da Saúde. Nos últimos anos a quantidade de artigos científicos que evidenciam a importância da prática regular de exercício físico na saúde vem crescendo a passos largos.

Hoje, os profissionais de Educação Física são considerados importantes colaboradores para a promoção da saúde, prevenção e tratamento de doenças crônicas não-transmissíveis. Nesse sentido, disponibilizo artigos científicos com essa temática, pois quanto mais tivermos conhecimento sobre exercício físico e saúde maior nosso impacto na saúde mundial.

Att.

Páginas