Faculdade Maurício de Nassau UNINASSAU | Ser Educacional
14 Setembro
Maceió
Compreenda mais a Síndrome de Guillain-Barré
Por Taísa Silveira

O que é Síndrome de Guillain-Barré?
 
A Síndrome de Guillain-Barré é uma doença autoimune que ocorre quando o sistema imunológico do corpo ataca parte do próprio sistema nervoso por engano. Isso leva à inflamação dos nervos, que provoca fraqueza muscular.
 
Tipos
 
Antigamente, acreditava-se que a Síndrome de Guillain-Barré era uma doença de um tipo só. Agora sabe-se que ela pode ocorrer de diversas formas, como:
 
Polirradiculoneuropatia Desmielinizante Inflamatória Aguda (AIDP)
 
É o tipo mais comum nos Estados Unidos. O sinal mais comum dessa forma da doença é a fraqueza muscular que começa na parte inferior do seu corpo e se espalha para cima.
 
Síndrome de Miller Fisher (MFS)
 
Aqui, a paralisia começa nos olhos. A MFS também está associada ao caminhar instável e ocorre em cerca de 5% dos pacientes com a Síndrome de Guillain-Barré. É mais comum na Ásia do que em qualquer outro lugar no mundo.
 
Outros
 
Neuropatia Motora Axonal Aguda e Neuropatia Motor-sensorial Axonal Aguda são tipos menos comuns nos Estados Unidos e são mais frequentes na China, no Japão e também no México.
 
Causas
 
O Ministério da Saúde confirmou que a infecção pelo Zika Vírus pode provocar também à Síndrome de Guillain-barré. No Brasil, a ocorrência de síndromes neurológicas relacionadas ao vírus Zika foi confirmada após investigações da Universidade Federal de Pernambuco, a partir da identificação do vírus em amostra de seis pacientes com sintomas neurológicos com histórico de doença exantemática. Deste total, quatro foram confirmadas com doença de Guillain-barré.
 
Na síndrome de Guillain-Barré, o sistema imunológico de uma pessoa, que é responsável pela defesa do corpo contra organismos invasores, começa a atacar os próprios nervos, danificando-os gravemente.
 
O dano nervoso provocado pela doença provoca formigamento, fraqueza muscular e até mesmo paralisia. A síndrome de Guillain-Barré costuma afetar mais frequentemente o revestimento do nervo (chamado de bainha de mielina). Essa lesão é chamada de desmielinização e faz com que os sinais nervosos se propaguem mais lentamente. O dano a outras partes do nervo pode fazer com que este deixe de funcionar completamente.
 
Fatores de risco
 
A síndrome de Guillain-Barré pode afetar todos os grupos etários. Pessoas inseridas dentro de determinados grupos podem estar sob maior risco do que outras, especialmente pessoas do sexo masculino e adultos mais velhos. Além disso, a síndrome pode ser desencadeada por:
 
Infecção com a Campylobacter, um tipo de bactéria frequentemente encontrada em aves mal cozidas
Vírus Influenza
Vírus de Epstein-Barr
HIV, o vírus da Aids
Pneumonia
Cirurgia
Linfoma de Hodgkin
Raramente, vacinas da gripe ou a vacinação infantil.
 
Sintomas de Síndrome de Guillain-Barré
 
Os sintomas típicos incluem:
 
Perda de reflexos em braços e pernas
Hipotensão ou baixo controle da pressão arterial
Em casos brandos, pode haver fraqueza em vez de paralisia
Pode começar nos braços e nas pernas ao mesmo tempo
Pode piorar em 24 a 72 horas
Pode ocorrer somente nos nervos da cabeça
Pode começar nos braços e descer para as pernas
Pode começar nos pés e nas pernas e subir para os braços e a cabeça
Dormência
Alterações da sensibilidade
Sensibilidade ou dor muscular (pode ser cãibra)
Movimentos descoordenados
Outros sintomas podem ser:
 
Visão turva
Descoordenação e quedas
Dificuldade para mover os músculos do rosto
Contrações musculares
Palpitações (sentir os batimentos cardíacos)
Os sintomas da Síndrome de Guillain-Barré podem piorar rapidamente. Os sintomas mais graves podem demorar apenas algumas horas para aparecer, mas a fraqueza que aumenta ao longo de vários dias é normal.
 
A fraqueza muscular ou a paralisia afeta os dois lados do corpo. Na maioria dos casos, a fraqueza começa nas pernas e depois se propaga para os braços. Isso é chamado de paralisia ascendente.
 
Os pacientes podem notar formigamento, dor nos pés ou nas mãos e descoordenação. Se a inflamação afetar os nervos do diafragma e do peito, e se houver fraqueza nesses músculos, a pessoa poderá necessitar de assistência respiratória.
 
Diagnóstico e exames
 
 
Alguns sintomas são emergenciais. Isso quer dizer que, se você senti-los, você deve procurar ajuda médica imediata. São eles:
 
Respiração interrompida temporariamente
Não conseguir respirar profundamente
Dificuldade para respirar
Dificuldade para engolir
Babar
Desmaios
Sentir vertigem ao se levantar
Perda de movimentos.
Diagnóstico de Síndrome de Guillain-Barré
 
A Síndrome de Guillain-Barré pode ser difícil de diagnosticar em seus estágios iniciais. Os sinais e sintomas são semelhantes aos de outras desordens neurológicas e eles podem variar de pessoa para pessoa.
 
Seu médico provavelmente começará seu diagnóstico fazendo perguntas sobre seu histórico clínico. Um histórico de fraqueza muscular crescente e paralisia pode ser um sinal da síndrome de Guillain-Barré, principalmente se houve uma doença recente.
 
Um exame médico pode mostrar fraqueza muscular e problemas nas funções involuntárias (autonômicas) do corpo, como pressão arterial e frequência cardíaca. O exame também pode mostrar se os reflexos, como os do joelho, estão diminuídos ou ausentes.
 
Pode haver sinais de diminuição da respiração causada por paralisia dos músculos respiratórios.
 
Os seguintes exames podem ser solicitados:
 
Amostra do líquido cefalorraquidiano (punção lombar)
Eletrocardiograma (ECG)
Eletromiografia (EMG), que testa a atividade elétrica nos músculos
Exame de velocidade de condução nervosa
Exames de função pulmonar
tratamento e cuidados
Tratamento de Síndrome de Guillain-Barré
Não existe cura para a síndrome de Guillain-Barré. Entretanto, há muitos tratamentos disponíveis para ajudar a reduzir os sintomas, tratar as possíveis complicações e acelerar a recuperação do paciente.
 
Quando os sintomas são graves, a hospitalização será recomendada para dar continuidade a um tipo de tratamento mais específico, que pode incluir aparelhos de respiração artificial.
 
Nos estágios iniciais da doença, tratamentos que removem ou bloqueiem a ação dos anticorpos que estão atacando as células nervosas podem reduzir a gravidade e a duração dos sintomas da Síndrome de Guillain-Barré.
 
Um desses métodos é chamado de plasmaferese e é usado para remover os anticorpos do sangue. O processo envolve extrair sangue do corpo, geralmente do braço, bombeá-lo a uma máquina que remove anticorpos e depois enviá-lo novamente ao corpo.
 
Outro método é bloquear os anticorpos usando altas doses de imunoglobulina. Nesse caso, as imunoglobulinas são adicionadas ao sangue em grandes quantidades, bloqueando os anticorpos que causam a inflamação.
 
Outros tratamentos disponíveis têm por objetivo prevenir complicações.
 
Podem ser utilizados anticoagulantes para prevenir coágulos sanguíneos
Se o diafragma estiver debilitado, pode ser necessário o uso de um auxílio respiratório ou até mesmo de um tubo e um ventilador respiratórios
A dor é tratada com remédios anti-inflamatórios e narcóticos, se necessário
O posicionamento adequado do corpo ou um tubo de alimentação podem ser empregados para evitar engasgar durante a alimentação se os músculos usados para deglutição estiverem debilitados.
Medicamentos para Síndrome de Guillain-Barré
Os medicamentos mais usados para o tratamento da síndrome de Guillain-Barré são:
 
Doxiciclina
Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.
 
Convivendo/ Prognóstico
 
Após os primeiros sinais e sintomas, a doença tende a agravar-se progressivamente para cerca de duas semanas. Os sintomas atingem seu ápice em aproximadamente quatro semanas.
 
A recuperação começa logo depois, geralmente com duração de seis meses a um ano, embora para algumas pessoas possa demorar até três anos.
 
Complicações possíveis
 
Se não for tratada, a síndrome pode evoluir algumas complicações de saúde graves:
 
Dificuldade para respirar (insuficiência respiratória)
Contraturas das articulações ou outras deformidades
Trombose venosa profunda (coágulos sanguíneos que se formam quando alguém está inativo ou confinado a uma cama)
Maior risco de infecções
Pressão arterial baixa ou instável
Paralisia permanente
Pneumonia
Lesões na pele (úlceras)
Aspiração de alimentos ou líquidos para dentro do pulmão
Expectativas
A recuperação pode demorar semanas, meses ou anos, mas não existe cura para a síndrome de Guillain-Barré. A maioria das pessoas sobrevive e se recupera completamente. Sintomas de fraqueza podem persistir em algumas pessoas por muitos anos mesmo com tratamento.
 
É mais provável que o prognóstico do paciente seja muito bom se os sintomas desaparecerem dentro de três semanas do início da doença.
 

12 Agosto
MEDICINA VETERINÁRIA
Termografia infravermelha na medicina veterinária
Por Jose Teles

Confira o texto

30 Junho
Salvador
A pesquisa na biomedicina
Por Sueli Maria

 A Pesquisa é de extrema importância para a evolução da ciência e da medicina, sendo assim, o curso de Biomedicina foi idealizado há mais de 50 anos atrás para formar o pesquisador na área de saúde, embora atualmente seja apenas 1 das  mais de 30 habilitações do Biomédico, porém não menos importante, pelo contrário, este profissional traz avanços de extrema relevância para a saúde da população.

E podemos dizer que essa habilidade já nasce na Universidade, através das atividades desempenhadas nas disciplinas e no momento de maior consagração do aluno que já está perto de se formar, quando da elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Nesse momento conseguimos ver não mais o aluno, mas o profisisonal que já se consagra com sua experiência e quer demonstrar resultados que levem informações de interesse a sociedade.

Na foto observamos uma das etapas do Trabalho de Conclusão de Curso do aluno Andrew Pablo, também formando de 2019.1, sobre "Isolamento da bactéria Staphylococcus aureus em Smartphones" o que nos leva a lembrar do cuidado da lavagem das mãos depois da utilização de celulares.

O Trabalho de Conclusão de Curso é uma atividade de grande importância, pois demonstra o conhecimento acumulado ao longo dos anos de curso e o comprometimento do aluno.Faça um excelente TCC, pois este poderá ser o seu cartão de visita para seu inicio de carreira.

Temos certeza que teremos mais um Biomédico que trará benefícios a ciência no Brasil

 

Sueli Marques

Coordenadora do Curso de Biomedicina

UNINASSAU - PITUBA

04 Abril
NETWORK
A era do relacionamento
Por Marco Sodre

Houve um tempo, não muito distante, em que se estabelecia no mercado a empresa que possuísse o maior patrimônio. Mas as evoluções foram acontecendo e passou a liderar quem obtivesse mais informação. Depois, foi a comunicação, o fator preponderante para quem queria chegar na frente. Hoje em dia, o patrimônio nem é tão importante, informação e comunicação são condições básicas de subsistência e o relacionamento se tornou o diferencial para quem quer se destacar no mercado. Relacionamento não só com os clientes, mas também com os fornecedores, que devem ser tratados como parceiros, e funcionários, que precisam estar motivados e treinados corretamente para atender bem todos os que ele mantém contato.

Tudo precisa começar pelo gestor, que com sua visão estratégica, deve liderar a equipe e gerir seus recursos no sentido do relacionamento. Um desses recursos é a tecnologia, que pode ser uma grande aliada neste sentido. Transformar o ponto de venda num ambiente agradável, onde o cliente se sinta bem, é também uma medida importante para fidelizá-lo. Mas além de tudo isso, o gestor precisa saber quem é o seu cliente, saber o que ele quer e entregar justamente o que ele precisa. Esta é a grande questão do relacionamento.

Pode não parecer fácil, mas já existem ferramentas de marketing que podem lhe mostrar onde está seu cliente e o que ele quer de você. Uma observação e análise do dia a dia na empresa já pode lhe trazer algumas respostas, mas de nada vai adiantar se a empresa inteira não entender que estamos na era do relacionamento.

 

06 Fevereiro
ARTIGO
Material Informativo 2019.1
Por Jose Teles

Queridos alunos, saudações!

Segue em anexo um material importante que contém informações relevantes para um excelente andamento das atividades do semestre 2019.1

Peço que todos salvem e leia com atenção.

Forte abraço.

Atenciosamente, Prof. Andreey Teles - Coordenador do curso de medicina veteriária Uninassau João Pessoa.

Anexo: 
14 Novembro
INDICAÇÃO DE LEITURA
Resistência bacteriana: uma visão farmacêutica
Por Juliana Carreiro

Confira o texto e boa leitura

07 Novembro
Artigo
Medicina veterinária e os riscos da mercantilização
Por Jose Teles

Diante do tamanho populacional de animais de estimação, calculado em mais de 130 milhões, e considerando ainda, a crescente preocupação dos tutores para com seus animais, a medicina veterinária vem se tornando uma área cada vez mais ampla no país

26 Outubro
Artigo
AIDS felina: O que é?
Por Jose Teles

A Aids dos gatos, também conhecida como Imunodeficiência Felina, é uma das que mais afeta a população dos gatos, assim como a leucemia felina

24 Outubro
Artigo
Investimentos públicos com saúde
Por Karla Cinara

O artigo de maneira despretensiosa mostra as conquistas e programas exitosos do SUS, dificuldades do financiamento e gestão, os desafios futuros e princípios que devem nortear as açõe

24 Outubro
Fisioterapia
Fisioterapia e Saúde da Família
Por Karla Cinara

Confira o texto

Páginas