Faculdade Maurício de Nassau UNINASSAU | Ser Educacional
24 Maio
Curiosidades
Morcegos: entre verdades e mitos
Por Jose Teles

Morcegos: entre verdades e mitos.

Os morcegos são os únicos mamíferos com capacidade de voar, pertencem a Ordem Chiroptera e são considerados os animais mais rodeados de mitos e lendas dentre os mamíferos, o que não lhes dá uma imagem carismática à maioria das pessoas. O interesse da humanidade pelos morcegos aparece desde a antiguidade, principalmente por alguns aspectos de sua própria biologia como: o hábito noturno, dormir de cabeça para baixo e ter representantes hematófagos (morcegos que se alimentam de sangue). Não é estranho ver morcegos na mídia (TV, livros, filmes, desenhos animados) associados a personagens macabros, obscuros ou com características maléficas como bruxas, vampiros, animais sanguinários e assassinos. Além disso, quando as características reais do animal são expostas não é raro ver essas características vinculadas apenas ao risco de transmissão de algum patógeno. Por terem uma visão distorcida por grande parte da sociedade e por serem animais de pouca proximidade com humanos o medo e o pânico são muito frequentes, acarretando desta forma no extermínio indiscriminado de morcegos que aparecem em residências ou de colônia inteiras, podendo impactar diretamente a população de algumas espécies menos abundantes.

Os morcegos representam uma fauna rica e diversificada compreendendo mais de 1120 espécies e 202 gêneros no Mundo, ocorrem em praticamente todos os biomas terrestres, limitando-se apenas a grandes altitudes, nos polos e em algumas ilhas oceânicas. No Brasil, representam a segunda maior ordem de mamíferos com 182 espécies e desse total apenas três se alimentam de sangue. Estes animais possuem uma grande importância do ponto de vista ecológico, econômico e médico-sanitário:

  1. Participam efetivamente no controle das populações de pequenos invertebrados, principalmente os insetos, muitos dos quais são prejudiciais ao homem como as pragas agrícolas, urbanas e vetoras de agentes zoonóticos;
  2. São eficientes na dispersão de sementes, atuando na regeneração de áreas degradadas;
  3. Atuam na polinização das flores, permitido a frutificação de várias plantas;
  4. Algumas espécies são consideradas bioindicadoras da qualidade do hábitat, atuando como um termômetro que mede o estado de conservação de uma determinada área;
  5. E a sua elevada riqueza, abundância e facilidade de captura são excelentes ferramentas em estudos de biodiversidade;
  6. Atuam como um dos principais reservatórios silvestre do vírus da Raiva, seja no ambiente natural ou urbano.

Por atuarem no ciclo epidemiológico da Raiva os morcegos muitas vezes são vistos como vilões. É importante frisar que não há vilões quando falamos sobre ciclos de transmissão de patógenos. Agentes patogênicos (vírus, protozoários, bactérias ou fungos) também possuem sua importância no equilíbrio ecossistêmico, uma vez que controlam a população de seres vivos dos mais diversos táxons, seja planta ou animal.  Tratando-se dos morcegos, por algumas espécies possuírem hábito de hematofagia, facilitando a transmissão do vírus da raiva, esses animais acabam ficando estigmatizados como animais atrelados a maleficência. Nem todo os morcegos estão infectados com o vírus da Raiva logo, só o indivíduo infectado é capaz de transmitir o vírus.

ATENÇÃO! Morcegos são animais silvestres e independente de sua condição de saúde NÃO devem ser manuseados por pessoas não capacitadas.

A espécie Desmodus rotundus, conhecida popularmente como “morcego vampiro comum” possui o habito de se alimentar do sangue de mamíferos de grande porte como bovinos, equinos e caprinos. Quando infectada pelo vírus da Raiva essa espécie acaba impactando a criação de animais de criação, sendo vista como vilã por criadores. O fato é que, as populações animais crescem de acordo com a demanda de alimento. Uma vez que cavernas, furnas e florestas são devastadas para dar lugar ao agronegócio as presas naturais dos morcegos hematófagos acabam sendo extintas localmente. Em compensação grandes populações de bovinos e caprinos surgem na mesma área proporcionando alimento suficiente para a ampliação populacional desses animais. Casos de ataques a humanos são raros e normalmente estão associados a distúrbios ambientais.

                PRESERVE! A NATUREZA É UM SISTEMA QUE PRECISA DE EQUILÍBRIO E TODO SER VIVO É IMPORTANTE NESSE SISTEMA.

Fontes externas: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1455

Saiba mais sobre os morcegos acessando:

Sociedade Brasileira para o Estudo de Quirópteros: https://www.sbeq.net/

Casa dos Morcegos: https://casadosmorcegos.wordpress.com/

 

Emmanuel Messias Vilar – Pesquisador na área de Eco-epidemiologia da raiva em morcegos de áreas urbanas.

Professor de Bioestatística do curso de medicina Veterinária da Uninassau João Pessoa.

18 Outubro
AÇÃO
Mês Nacional de Proteção aos Animais recebe ação neste sábado (21)
Por Ana Carolina

Em alusão ao Dia Nacional de Proteção aos Animais, que foi comemorado no dia 04 deste mês, a  UNINASAU em parceria com ONG's de Proteção e Adoção de animais em Teresina e Timon, irá realizar neste sábado (21),  das 16h às 18h, um momento de panfletagem, com informações e orientações a respeito a importância da proteção aos animais. O Evento será no Parque Potycabana, em Teresina-Piauí.

29 Outubro
Responsabilidade Social
Alunos de veterinária arrecadam mais de 200 kg de ração
Por Sebastiao Lima

Incentivados pelos coordenadores e professores de cursos, os alunos de medicina veterinária realizaram uma campanha com o intuito de arrecadar rações para cães e gatos que vivem em abrigos provisórios.

Mais de 200kg de ração foram arrecadados e distribuídos entre os cuidadores dos Pets. 

Os alunos agora estão entusiasmados e já projetam outras ações. 

28 Outubro
Ação Social
Evento de medicina veterinária tem participação massiva do público
Por Jose Teles

Organizado pela coordenação do curso de medicina veterinária da Uninassau João Pessoa, juntamente com o Marketing e apoiado pela direção da Unidade, o evento denominado Pet Stop da Uninassau, foi realizado no último dia 26 de outubro.

De cunho social e informativo, o evento que contou com a colaboração direta e indireta dos alunos do curso de medicina veterinária, ofereceu momento de educação ambiental feito pelo Batalhão de Polícia Ambiental da Paraíba, apresentação do Canil do Batalhão de Operações Especiais – BOPE/PMPB, além de ONGs de proteção animal com a doação de PETs. Vale lembrar que os animais para doação foram todos adotados e, enquanto aguardavam um novo lar, ficaram alojados em espaços próprios para eles, as gaiolas cedidas gentilmente pelo Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses de João Pessoa-PB.

Outros parceiros foram a Drogavet – Saúde animal na dose certa doando antiparasitários para serem aplicados nos animais que estavam para doação; A Petit Nature – Alimentação Natural para PETs, explicando sobre os benefícios e a vantagens do fornecimento de alimentação de qualidade par seu PET.

A Vetnil – Receita de campeões, marcou presença através da Dra Joyce Ramos a qual prestou esclarecimentos e orientações ao público em geral, apresentando os mais novos produtos da linha PET.

O público, que passava pelo local durante a ação que durou cerca de três horas, desfrutou de uma série de benefícios, dentre eles as orientações prestadas pelos alunos da medicina veterinária da Uninassau sobre posse responsável, cuidados com o PET e atenção sobre o câncer em animais de companhia, haja vista a passagem do mês de outubro o qual faz alusão aos cuidados com o câncer.

Dessa forma o evento, que foi um sucesso, promete voltar em nova edição no ano de 2020. Contando com todos esses e muito mais parceiros que sempre viabilizam a realização de atividades paralelas.

25 Janeiro
NOTÍCIA
10 animais exóticos que você pode ter em casa
Por Alex Santos

 
Muitas pessoas gostam de fugir do que é comum e escolhem ter em casa animais exóticos, bem diferente de um cachorro ou de um gato.

Os animais de estimação mais  comuns nas residências de todo o mundo  são o cachorro e o gato. Peixes e aves também não ficam muito atrás. Mas, mesmo com os variados preços, raças e características desses animais, há pessoas que não se sentem confortáveis dentro do que é tradicional e preferem a excentricidade. A escolha delas são os  animais exóticos.

Répteis e mamíferos são os mais populares dentro do mundo dos  animais exóticos que podem ser comercializados e criados dentro de casa. Saiba quais são alguns deles e nos conte se você teria algum deles como seu animal de estimação. 

1. Cacatua
2. Cobra de Milho
3. Iguana
4. Tarântula
5. Teiú
6. Jiboia
7. Micro Porco
8. Tartaruga Tigre D'água
9. Furão
10. Sagui

Fonte: Canal do Pet

 

11 Janeiro
MATÉRIA
Saiba como denunciar maus-tratos ou crueldade contra animais
Por Alex Santos

Caso você presencie maus-tratos a animais de quaisquer espécies, sejam domésticos, domesticados, silvestres ou exóticos – como abandono, envenenamento, presos constantemente em correntes ou cordas muito curtas, manutenção em lugar anti-higiênico, mutilação, presos em espaço incompatível ao porte do animal ou em local sem iluminação e ventilação, utilização em shows que possam lhes causar lesão, pânico ou estresse, agressão física, exposição a esforço excessivo e animais debilitados (tração), rinhas, etc. –, vá à delegacia de polícia mais próxima para lavrar o Boletim de Ocorrência (BO), ou compareça à Promotoria de Justiça do Meio Ambiente.
 
A denúncia de maus-tratos é legitimada pelo Art. 32, da Lei Federal nº. 9.605, de 12.02.1998 (Lei de Crimes Ambientais) e pela Constituição Federal Brasileira, de 05 de outubro de 1988.
 
É possível denunciar também ao órgão público competente de seu município, para o setor que responde aos trabalhos de vigilância sanitária, zoonoses ou meio ambiente. Lembrando que cada município tem legislação diferente, portanto caso esta não contemple o tema maus tratos pode utilizar a Lei Estadual ou ainda recorrer a Lei Federal.
 
Lei de Crimes Ambientais
“Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:
Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa.
§ 1º. Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.
§ 2º. “A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.”
 
Fonte: https://www.worldanimalprotection.org.br/denuncia

12 Dezembro
ARTIGO
Ministro reconhece esforço da ciência brasileira para reduzir uso de animais em pesquisas
Por Raquel Barbosa

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, reconheceu o esforço de pesquisadores brasileiros na aplicação da ciência em sintonia com o que há de mais positivo no planeta. A declaração foi feita nesta quarta-feira (29) durante a entrega do Prêmio MCTIC de Métodos Alternativos, criado para revelar novos talentos e impulsionar a pesquisa científica na área de experimentação animal. Os vencedores foram anunciados no início do mês.

 

O prêmio responde a uma demanda da sociedade para a adoção de métodos alternativos à experimentação animal e demonstra o esforço do MCTIC em aplicar a melhor ciência em benefício da população. "O que vocês fazem está sintonizado com o que há de mais positivo no planeta. É a vontade da sociedade de ver a nossa ciência sendo feita de forma politicamente correta, de maneira que não precisemos mais da utilização dos animais. A sociedade brasileira é grata pela seriedade com que vocês fazem seus trabalhos", afirmou o ministro.

Continue lendo no link.

 

30 Outubro
AÇÃO
Ação do Dia Nacional de Proteção aos Animais marca mês de outubro
Por Ana Carolina

Realizado no mês de outubro, em parceria com a Organização Não Governamental Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais - APIPA, o Dia de Proteção Nacional aos Animais foi prestado serviços com orientações  quanto a adoção de animais e ao abandono dos animais também. Na ocasião, ocorreu um feira de adoção a animais e realização de cadastro aos interessados em adotar. 

Obtivemos um público bastante interessado, participativo e que foi realizado adoções, além de um saldo positivo quanto ao nosso objetivo principal que era o de sensibilizar a sociedade sobre o direito dos animais como também alertar sobre o grande número, estatísticamente, de abandono de animais aqui no Piauí.

13 Outubro
EVENTO
Parada Pet vai alertar sobre maus tratos animais
Por Ivana Santos

Por: Vanessa Braz

‘Cãominhada’, vacinação, adoção de animais e apresentação com adestradores são algumas das programações previstas na I Parada Pet UNINASSAU. O evento tem como objetivo alertar a população sobre a posse responsável e o combate aos maus tratos animais. A programação, aberta ao público, será realizada no Parque da Lagoa a partir das 14h do dia 28 de outubro.

Clique aqui para mais informações.