Faculdade Maurício de Nassau UNINASSAU | Ser Educacional
28 Outubro
Vazamento de Óleo
Uninassau Recife debate a cobertura do vazamento de óleo no litoral nordestino
Por Andre Felipe

Nesta última sexta (25), os alunos de jornalismo e publicidade do 4°, 6° e 8° da Uninassau Recife participaram de uma palestra com o tema "A cobertura jornalística do vazamento de óleo no litoral nordestino". Participaram como expositores: João Valadares, repórter da Folha de São Paulo, Raíssa Ebrain, do Marco Zero e Ed Machado, repórter fotográfico da Folha de Pernambuco. Os palestrantes debateram questões como a sensibilidade no registro das fotos, a importância das checagens de informações e quais os desafios na cobertura do contexto atual.
 
Os alunos puderam ter exemplos das experiências vividas atualmente pelo olhar dos profissionais e sentiram a importância do jornalismo na cobertura de acontecimentos como esse. “O jornalismo está tendo um papel fundamental na cobertura e no acompanhamento desse desastre ambiental. Estamos em um momento crucial para investir no aprofundamento das boas apurações e em checagem de informações. Temos um contexto político complicado, que não se pode confiar totalmente em fontes oficiais, e trazer isso para dentro da universidade é muitíssimo importante, pois, é um momento de troca, de compartilhar com os estudantes, com quem ainda está para chegar no mercado, quais são os desafios dessa profissão, quais são os caminhos que se deve seguir e como ir em busca das verdades,
apurando o olhar e o senso crítico”, diz Raíssa Ebrain.
 
Confira o vídeo produzido pela WebTV, núcleo da Sementes Comunicação: https://cutt.ly/eexUPfS 

22 Outubro
RECIFE
Uninassau promove ação voluntária em prol das praias atingidas por óleo
Por Andre Felipe

 
Com o avanço cada vez mais visível das manchas de petróleo no litoral nordestino, a Uninassau está promovendo na tarde desta terça-feira (23) uma ação de coleta desses resíduos nas praias atingidas. Aproximadamente 150 estudantes e funcionários da instituição estão distribuídos na praia do Paiva e Gaibú. É possível acompanhar maiores informações sobre a ação nas redes sociais da Uninassau Pernambuco.
 
Entenda melhor
 
Segundo a Marinha, já foram recolhidas cerca de 525 toneladas de óleo desde o início de setembro. O poluente foi identificado em uma faixa de mais de 2 mil quilômetros, atingindo todos os estados do Nordeste, principalmente Pernambuco, no qual pode-se citar as praias de Gaibú, Paiva, Suape, Itapuama, entre muitos outros.
 
A origem deste é ainda desconhecida e não produzida no Brasil, de acordo com a Marinha e a Petrobrás. As investigações estão em andamento e se concentram em 23 embarcações suspeitas que navegavam por essa área. Os maiores riscos se encontram na expansão do petróleo para o Rio São Francisco, que é o maior fornecedor do abastecimento de água da população nordestina; com os moradores e
banhistas dessas praias que estão mais propícios ao contato com o produto; e a ameaça a fauna marinha como peixes, crustáceos, tartarugas e o peixe-boi, que já está em perigo de extinção.