Faculdade Maurício de Nassau UNINASSAU | Ser Educacional
31 Maio
CAMPINA GRANDE
Discentes interagem com Aplicação de Metodologias Ativas na enfermagem
Por Flavia Lira

As disciplinas do curso de enfermagem tem aplicado metodologias ativas no ensino, com o propósito de garantir a aprendizagem de maneira autônoma. Neste processo de ensino, o discente é o protagonista da sua aprendizagem.

A coordenação do curso ressalta a importância desta técnica nas aulas teóricas, pois a formação dos profissionais de saúde não deve ser marcada por um ensino tradicional. A execução de metodologias ativas no ensino das disciplinas aplicadas a enfermagem estimula a criticidade do discente e amplia a discussão da aplicabilidade teórico-prática do conteúdo pelo profissional em formação.

16 Junho
Roda de Mestres
Roda de Mestres aborda Metodologias Ativas de Aprendizagem
Por Alexsandro Morais

Com as novas tecnologias, que roubam a atenção o tempo todo e fornecem informações em tempo real, as técnicas de ensino também precisam se atualizar e acompanhar esse processo de mudança. Diante disso, o professor Luís Oscar Silva Martins proferiu a palestra “Metodologias Ativas de Aprendizagem”, durante a Roda de Mestres da Faculdade UNINASSAU de Feira de Santana. O evento aconteceu no final da tarde de 31 de maio.

Com a presença do diretor da unidade, Alex Morais; da coordenadora dos cursos de Administração e Logística, Isabel das Mercês Costa e dos professores da instituição, o encontro ocorreu na mesma, à Rua Barão de Cotegipe, 1370, Centro.

Em sua explanação, Luís Oscar falou da importância de “não tratar o aluno apenas como um repetidor de fórmulas, um decorador”, daí a importância de se utilizar “novas técnicas que façam com que ele absorva cada vez mais”. As “Metodologias Ativas” incluem, por exemplo, “citar exemplos e colocar situações que tenham a ver com a realidade do aluno”.

“A maneira como a geração anterior aprendeu é diferente da maneira que essa geração agora deseja e anseia aprender.  Agente foi educado no sentido de que a gente seria sempre um agente receptor, enquanto que a geração atual não se sente dessa forma. Então, se a gente continuar utilizando as mesmas técnicas as quais nós fomos submetidos, nós não vamos atingir resultados diferentes, que são exigidos e, mais importante, que são necessários para que essa geração efetivamente aprenda, tenha uma profissão, se dedique à pesquisa, seja um bom cidadão”, explica o professor.

Também durante a reunião, a coordenadora delegou organizadores para os próximos eventos e os professores debateram com o diretor problemas e soluções comuns no meio acadêmico.

Texto e fotos: Lana Mattos