Faculdade Maurício de Nassau UNINASSAU | Ser Educacional
30 Março
Enfermagem 2017.1
Informativo sobre atividade prática
Por raquel.porto

Prezados,

Favor atentar às observações que seguem em anexo.

 

Tags: 
29 Março
Aprovados
Resultado de monitoria
Por terezinha.lima

Já está disponível o resultado dos aprovados na seleção para monitoria. Ao total, foram selecionados 18 estudantes para atuação nas disciplinas de Emergência, Histologia, Semiotécnica e Direito à Saúde. 

O edital com a lista completa dos aprovados para monitoria pode ser conferida abaixo. Para fazer o download, basta clicar no arquivo presente no campo "Anexo" abaixo.

27 Março
Aprovados
Resultado de Monitoria
Por Vanessa Guzzi

Já podem ser conferidos os resultados das inscrições deferidas para Monitoria dos cursos de Administração, Arquitetura e Urbanismo, Direito, Educação Física, Enfermagem, Engenharia Civil, Estética e Cosmético, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Pedagogia, Psicologia, Serviço Social e Sistemas da Informação. 

A relação completa dos alunos com resultado deferido pode ser conferida no documento presente no campo "Anexo" abaixo:

18 Março
Confira!
Resultado da Monitoria 2017.1
Por Kirlene Scheyla

 

Confira o resultado do processo de seleção para monitores do semestre 2017.1, realizado no dia 9 de março na Faculdade Maurício de Nassau – Unidade João Pessoa.  Esse semestre, seis alunos foram selecionados para monitoria das disciplinas de Cuidado Integral a saúde do paciente cirúrgico I, Cuidado Integral a saúde do adulto I, Histologia e Saúde Mental e Cuidados de enfermagem em Psiquiatria.

Para esses alunos, fiquem atentos ao prazo de firmamento do termo de compromisso (ver anexo).

18 Março
Sucesso de evento
Mostra Campus 2017
Por Kirlene Scheyla

Encerrado com sucesso mais uma edição do Mostra Campus da Faculdade Maurício de Nassau, unidade João Pessoa.
 

A imagem pode conter: 14 pessoas, pessoas sorrindo

16 Março
Evento
Seleção monitores - II Semana de Enfermagem - Caruaru
Por Franciskelly Pessoa

No dia 11 e 12 de Maio de 2017, estaremos promovendo a II SEMANA DE ENFERMAGEM DA FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU-CARUARU, dessa forma necessitaremos da ajuda de monitores voluntários que atuarão na organização desse evento.

As inscrições serão do dia 20/03 ao dia 24/03, com um HISTÓRICO ESCOLAR entregue a coordenação de Enfermagem. A seleção acontecerá no dia 30/03 às 21h, com professor Gabriel Gomes (sala à definir).

Aguardamos as inscrições e corram!!!!!!

Tags: 
16 Março
Especialização
Enfermagem Offshore
Por Osmarina Alves

Enfermagem Offshore é a tradução do termo inglês: Offshore Nursing. Definindo assim o grupo de profissionais de Enfermagem: Técnicos de enfermagem e Enfermeiros que trabalham na área offshore. É a prestação da assistência de Enfermagem desenvolvida na área de exploração e produção de petróleo e gás natural em alto mar. Logo, as atividades dela são voltadas para os trabalhadores a bordo de plataformas, navios e unidades petrolíferas.

Muitos dos profissionais de enfermagem offshore são oriundos de outras áreas da enfermagem, tais como: Emergência, Unidade de Terapia Intensiva e Enfermagem do Trabalho. E isto, ocorre devido ao tipo de atividade desenvolvida por estes profissionais. O que requer conhecimentos e habilidades específicas para se prestar assistência a possíveis lesões graves decorrente das operações complexas.

Para ler a matéria na ínterga, clique aqui.

09 Março
Recife
Disciplina Especial de Bioquímica Humana
Por terezinha.lima

Prezados boa noite, 

Informo que foi autorizada a abertuda da disciplina em caráter especial de Bioquímica Humana para o semestre 2017.1, para alunos dos cursos de saúde da Uninassau.
 
As aulas serão ministradas pela profª Eliane Figueredo e iniciarão dia 14 de março de 2017. As aulas ocorrerão toda terça feira até o mês de junho no horário de 8:30h as 12h na sala 104 - Bloco I.
 
O aluno deverá solicitar a inclusão da disciplina e pegar autorização na coordenação do curso.
 
Seguem os códigos:
 
Turma: 
GRA0070102NMA
Disciplina: 
GSER069600
 
 
 
 

 

Tags: 
09 Março
Caruaru
ALIMENTOS FUNCIONAIS- SEMINÁRIO-ENFERMAGEM
Por Franciskelly Pessoa

No último dia 08 de Março, foram apresentados pelos alunos do 4º período de Enfermagem, na disciplina de Nutrição para o cuidado, teoria e degustação de alimentos com as mais variadas funções (energético, anti-inflamatório, antioxidantes, anti-envelhecimento, hipotensores).

Os alunos com a supervisão da Professora Enfa. SARANA PEREIRA, uniram a criatividade, organização, sabor e bom senso, elencando alimentos de baixo custo financeiro e alto valor funcional. 

Parabéns, queridos! Show de apresentação.

Tags: 
08 Março
Manaus
Neste 8 de Março, a Enfermagem vai à luta
Por Osmarina Alves

Neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a Enfermagem vai à luta. A desigualdade de gênero afeta particularmente a profissão, predominantemente feminina, com 84,6% de mulheres. Na pauta dos movimentos, além das bandeiras históricas, como a luta pelo fim da violência contra a mulher e a igualdade salarial, a resistência à Reforma da Previdência também ganha destaque em todo o Brasil.

Neste mês de março, conversamos com as deputadas estaduais Enfermeira Rejane (PC do B – RJ) e Goretti Reis (PMDB – SE) sobre representatividade política, dupla jornada e, claro, a regulamentação da jornada em 30h semanais.

A Enfermagem está cansada. Segundo dados da Pesquisa Perfil da Enfermagem no Brasil (Cofen/Fiocruz), 66% relatam desgaste profissional. A regulamentação da jornada beneficiaria especialmente as mulheres, que cumprem duplas e, às vezes, triplas jornadas entre a casa e os trabalhos. As mulheres brasileiras dedicam, em média, 26,6 horas semanais dedicadas aos serviços de casa, enquanto os homens gastam 10,5 horas, conforme dados do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

Representatividade importa – As mulheres são mais da metade do eleitorado (51,7%), mas ocupam apenas 9% dos assentos na Câmara dos Deputados e 13% no Senado. No ranking que avalia a participação política feminina em 190 países, preparado pela União Interparlamentar em 2016, o Brasil ocupa 153º lugar, atrás de nações como Afeganistão. Os números brasileiros são ainda inferiores aos da média do Oriente Médio, com uma taxa de participação feminina de 16%.

A sub-representação no Poder Legislativo se mantém mesmo depois da aprovação da Lei 9.100, que determina percentuais mínimos de candidaturas femininas.”A igualdade de gênero na política ainda é um sonho distante no Brasil e os mecanismos desenvolvidos pelo poder público para efetivar essa igualdade não tem ofertado os resultados desejados”, afirma a deputada Goretti Reis (PMDB), lembrando que a própria lei de cotas , mesmo depois de reformas, não pune de forma contundente os partidos que não respeitam a porcentagem mínima de mulheres nas chapas eleitorais

Para deputada Enfermeira Rejane (PC do B – RJ), “a Lei Eleitoral representou um avanço, mas são necessárias mudanças estruturais”. “Nós, mulheres, não podemos ser apenas uma composição para a nominata. Temos de ter cota e financiamento de campanha específicos. A reforma política é essencial para permitir a igualdade de acesso das mulheres à liderança e à participação na governança. O que garantiria legislações em prol dos direitos sexuais, reprodutivos, cultura, mídia, direito à terra e moradia, saúde e trabalho, entre outras”, afirmou a deputada, em entrevista ao Portal Cofen.

Jornada de trabalho – O PL 2295/00, que fixa em 30 horas semanais a jornada de trabalho da Enfermagem, aguarda votação na Câmara dos Deputados desde 2009, a despeito da mobilização dos conselhos, entidades de classe e profissionais. O descaso com o projeto, mais pedido do Disque-Câmara em 2015, é fruto desta subrepresentação política da Enfermagem. “Precisamos estar unidos para essa conquista”, afirma Goretti Reis.

No Rio de Janeiro, legislação estadual assegura a jornada de 30h para os profissionais de Enfermagem do setor público, mas Rejane avalia que houve um recuo. “[A luta pelas 30h] está desarticulada em conseqüência da atual situação do País e no Rio de Janeiro. Não há clima político e as lutas dos trabalhadores não são prioridade para os atuais governantes”, afirmou. Para a deputada, “o fato de não haver mulheres compondo postos-chaves no atual governo enfraquece a luta contra o desmonte das políticas públicas e pela igualdade de gênero”.

Reforma da Previdência – As mulheres são mais prejudicadas que os homens pela Reforma da Previdência, proposta pelo governo Temer. A proposta prevê idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e mulheres, desconsiderando a diferença na jornada doméstica, que muitas vezes implica interrupção temporária do trabalho assalariado pela mulheres. A Reforma Previdenciária aumenta, ainda, de 15 para 25 anos, o tempo mínimo de contribuição para aposentadoria por idade, o que ameaça principalmente a aposentadoria das trabalhadoras de baixa renda.

FONTE: http://www.cofen.gov.br/neste-8-de-marco-a-enfermagem-vai-a-luta_49732.html

Páginas