Faculdade Maurício de Nassau UNINASSAU | Ser Educacional
06 Janeiro
Projeto Capacita
Cursos de férias com inscrições abertas
Por Claudia Cristina

Objetivando possibilitar uma imersão na área contábil, a UNINASSAU - Centro Universitário Maurício de Nassau - Maceió lança cursos para a comunidade acadêmica e externa.

Dentre as várias opções estão sendo ofertados:

1) A CONTABILIDADE E A RESPONSABILIDADE SOCIAL;

2) ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DE FINANÇAS PESSOAIS;

3) AS NOVAS NORMAS DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS;

4) CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO CONTADOR;

5) COMO CONTROLAR OS RISCOS COM A AUDITORIA INTERNA;

6) COMO MONTAR UM ORÇAMENTO;

7) CONTABILIDADE PARA NÃO CONTADORES;

8) INTRODUÇÃO AO MERCADO FINANCEIRO;

9) MÉTODOS ADEQUADOS DE SOLUÇÃO DE CONFLITOS;

10) OPORTUNIDADES NO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL;

11) PREPARATÓRIO PARA O EXAME DO CONSELHO;

12) RELAÇÃO ENTRE CONTABILIDADE E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO;

13) ELABORAÇÃO DO TERMO DE RESCISÃO CONTRATUAL DE TRABALHO;

14) TRANSPARÊNCIA E RESPONSABILIDADE PÚBLICA;

15) USO DA CALCULADORA HP 12C EM CONTEXTOS DE MATEMÁTICA APLICADA.

Acesse o site e faça a sua inscrição!

Convide seus amigos,  é aberto ao público!

Acesse: http://extensao.uninassau.edu.br/HomePortal.aspx

05 Janeiro
Parnaíba
CAPACITA: QUESTÃO INDÍGENA
Por Rosangela Santos

O projeto Capacita também irá se debruçar na questão indígena. O curso de extensão na área de Serviço Social pretende levar aos participantes assuntos que tragam essa temática de forma proveitosa. 

O objetivo é trazer para a sociedade a importância do índio na construção do Brasil abordando a luta pela conquista da cidadania. 

04 Janeiro
Feminismo
Curso do Capacita promove debate sobre questões de gênero
Por Aleine Ferreira

O Curso de Serviço Social da Faculdade Mauricio de Nassau, promove no dia 26 de janeiro, às 18h, a palestra: "Reflexões e análises critica sobre as relações de gênero". O Objetivo do curso é promover uma reflexão critica entre os estudantes do curso de Serviço social, com intuito de capacitá-los para trabalhar com essa demanda. 

A palavra “gênero” começa a ser utilizada nos anos 1980 do século XX, pelas feministas americanas e inglesas, para explicar a desigualdade entre homens e mulheres concretizada em discriminação e opressão das mulheres. Nessa época, as investigações sobre a condição social delas já apontavam uma forte desigualdade entre homens e mulheres, que tendia a aumentar conforme a classe social, raça, etnia e outras condições de vida. A desigualdade abarcava a esfera pública e privada. Na primeira, era visível nos salários menores do que o dos homens em serviços iguais e na pequena participação política. Na esfera privada, se evidenciava pela dupla moral sexual e na delegação de papéis domésticos.

A desigualdade era e ainda é justificada, por setores conservadores religiosos, científicos e políticos, pela diferença biológica entre homens e mulheres. Muitos crêem que as diferenças sociais são essenciais, naturais e inevitáveis.

O sexo é uma categoria biológica insuficiente para explicar os papéis sociais atribuídos ao homem e à mulher. “Gênero” veio como uma categoria de análise das ciências sociais para questionar a suposta essencialidade da diferença dos sexos, a ideia de que mulheres são passivas, emocionais e frágeis; homens são ativos, racionais e fortes. Na perspectiva de gênero, essas características são produto de uma situação histórico-cultural e política; as diferenças são produto de uma construção social. Portanto, não existe naturalmente o gênero masculino e feminino.
Gênero é uma categoria relacional do feminino e do masculino. Considera as diferenças biológicas entre os sexos, reconhece a desigualdade, mas não admite como justificativa para a violência, para a exclusão e para a desigualdade de oportunidades no trabalho, na educação e na política. É um modo de pensar que viabiliza a mudança nas relações sociais e, por conseqüência, nas relações de poder. É um instrumento para entender as relações sociais e, particularmente, as relações sociais entre mulheres e homens.

Gênero tem a ver com feminismo, mas não é igual a mulher ou a feminismo. As relações de gênero podem ser estudadas a partir da identidade feminina e masculina. Gênero significa relações entre homens e mulheres. Uma análise de gênero pode se limitar a descrever essas relações. O feminismo vai além ao mostrar que essas relações são de poder e que produzem injustiça.

A expressão gênero vem, paulatinamente, se incorporando nos instrumentos normativos internacionais e na legislação dos países. No Brasil, foi introduzida na Convenção de Belém do Pará (Decreto n. 1.973, de 01/08/1996), para esclarecer o conceito de violência contra a mulher como qualquer ato ou conduta baseada no gênero. Não há definição de gênero, mas do contexto se infere o conceito de relação de poder. Aparece também no Estatuto de Roma (Decreto n. 4.388, de 25/09/2002), com um significado mais restrito.

O Tribunal Penal Internacional, criado pelo Estatuto de Roma, incorpora (a) uma definição de gênero, (b) o princípio da não-discriminação baseada em gênero, (c) normas de procedimento e prova, proteção e participação em relação a vítimas e testemunhas de crimes de violência sexual, e (d) criminaliza em nível internacional a violência sexual e de gênero.

O primeiro ponto notável é a introdução do conceito gênero em um instrumento legal internacional. De acordo com o art. 7º, item 3, “entende-se que o termo “gênero” abrange os sexos masculino e feminino, dentro do contexto da sociedade, não lhe devendo ser atribuído qualquer outro significado”. É uma redação fruto de negociação intensa com o Vaticano e os países islâmicos, que reduzem o gênero a uma questão biológica. A expressão “dentro do contexto da sociedade” dá-lhe a perspectiva cultural necessária, embora de forma imprecisa e insuficiente.

Com a criação, no Brasil, da Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres, em 2003, fortaleceu-se a perspectiva de gênero em todas as políticas públicas.
O conceito de gênero segue em construção. A identidade sexual, antes dicotômica (masculino-feminino), ampliou-se para abranger homossexuais, lésbicas, transexuais, travestis etc., que não se identificam como homens ou mulheres. Hoje se sabe que o suposto sexo biológico e a identidade subjetiva nem sempre coincidem.

Uma das versões mais atuais do conceito de gênero, de Marta Lamas, alude a uma rede de inter-relações e interações sociais que se constroem a partir da divisão simbólica dos sexos. Lamas nega qualquer base biológica e mesmo cultural à noção de gênero. A seu ver, é uma lógica de pensamento, emoções e representação da subjetividade íntima das pessoas.

04 Janeiro
Serviço Social
Curso do Capacita aborda violência contra a mulher
Por Aleine Ferreira

A Violência Contra Mulher é todo ato que resulte em morte ou lesão física, sexual ou psicológica de mulheres, tanto na esfera pública quanto na privada. No Brasil, a população feminina ultrapassou 103 milhões de mulheres em 2014. Uma em cada cinco, considera já ter sofrido alguma vez “algum tipo de violência de parte de algum homem, conhecido ou desconhecido” (Fundação Perseu Abramo, 2010).

Assim, o objetivo do curso "Violência Contra Mulher - Rede de enfrentamento e denúncia", é capacitar os futuros  Assistentes Sociais  que vão trabalhar com essa demanda. A capacitação será seralizado no dia 19 de janeiro, às 18h, e será ministrada pela assistente social e professora Ms. Gilmara Lisboa.

 

04 Janeiro
Serviço Social
Qualidade de Atendimento ao Cliente é tema de curso do Capacita
Por Aleine Ferreira

Os alunos, profissionais ou interessados na área de Serviço Social podem conferir o curso Qualidade de Atendimento ao Público, promovido pelo Projeto Capacita, na unidade Lauro de Freitas da Faculdade Maurício de Nassau. A qualificação é gratuita e tem o objetivo de promover reflexões críticas sobre a qualidade no atendimento ao cliente. O curso será realizado no dia 11 de janeiro, das 18h às 22h e será ministrado pela professora Ms. Ana Amélia Amorim.

 

04 Janeiro
Capacita
Curso oferece nova perspectiva sobre as células tronco
Por Rafael Reis

No próximo dia 17 de janeiro, às 18h, será realizada uma palestra sobre células tronco, da unidade Lauro de Freitas da Faculdade Maurício de Nassau. A aula sobre o tema será ministrada pelo professor MSc. Cassio Santana, com o objetivo de viabilizar o conhecimento uma nova prática e ainda demonstrar aos interessados uma nova perspectiva sobre as Células Tronco, cujo uso como terapia cresce e traz esperança a muitos pacientes com lesões e doenças crônicas. O curso será oferecido gratuitamente e oferecerá certificado de quatro horas aos participantes. As inscrições podem ser feitas pela internet.

 

04 Janeiro
Gratuitos
Capacita oferece cursos na área de Fisioterapia
Por Rafael Reis

Por meio do Projeto Capacita, serão realizadas oficinas de capacitação gratuitas na área de Fisioterapia. A unidade Lauro de Freitas da Faculdade Maurício de Nassau oferecerá duas aulas, com dois temas diferentes, sobre câncer e células tronco, nos dias 17 e 18 de janeiro. Ambas as atividades serão realizadas às 18h, na instituição. 

Células tronco: nova esperança de cura

Dia: 17 de janeiro

Horário: 18h

O Câncer e a saúde do homem

Dia: 18 de janeiro

Horário: 18h

Serviço

Faculdade Maurício de Nassau - Lauro de Freitas

Endereço: Estrada do Coco, S/N, Km 4,5 - Centro, Lauro de Freitas.

04 Janeiro
Parnaíba
CAPACITA 2017 - EDUCAÇÃO FÍSICA
Por Bernardo Portela

O Capacita A UTILIZAÇÃO DO TREINAMENTO DE FORÇA PARA MINIMIZAR O RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS, terá como objetivo demonstrar como o Treinamento de força interfere positivamente nos decréscimos fisiológicos que contribuem para a queda em idosos.

Este curso é indicado ao público que tem a intensão em trabalhar com o público da terceira idade, sendo necessário o conhecimento da fisiologia do idoso, os benefícios do Treinamento de Força e como este deverá ser prescrito.

04 Janeiro
Parnaíba
Capacita 2017 - Bioquímica básica
Por Karla Josnaina

Estão abertas as inscrições para o curso de Bioquímica Básica no projeto Capacita. As aulas serão realizadas nos dias 17 e 18 de janeiro, e terá carga horária de 08 horas. O objetivo do programa é promover um nivelamento dos nossos alunos e comunidade em geral que tenham interesse em conhecer um pouco da bioquímica dos alimentos, por meio de aulas teórico-práticas. As inscrições vão de 9 a 16 de janeiro, e devem ser feitas na unidade Parnaíba da Faculdade Maurício de Nassau.

04 Janeiro
Parnaíba
Capacita de Administração: Gestão do Tempo
Por Rosilene Gadelha

Quem deseja aprender como administrar melhor com o tempo pode se inscrever no curso de Gestão de Tempo do projeto CAPACITA.

O objetivo é disponibilizar aos participantes técnicas e posturas necessárias para uma boa gestão do tempo.

Páginas